Como fortalecer cultura e valores do negócio

Como fortalecer cultura e valores do negócio

20 de abril de 2020

Fala, galera!

Estamos com uma série de lives no meu instagram (@luizfelipecosta_oficial) com empreendedores da área de franquias. Na última semana, recebi meu amigo Thiago Reis, fundador da Barbearia do Zé, para falar sobre a cultura e os valores do negócio durante a crise. Thiago é um empreendedor que percebeu desde cedo que esse era o caminho que deveria seguir. No entanto, percebeu também que não era o mais fácil: empreender requer coragem, determinação e, principalmente, força de vontade para não desistir. Após quebrar duas vezes, Thiago ouviu de um professor de Marketing sobre uma barber shop em Nova York, e o negócio lhe chamou a atenção.

Em 2005, as barbearias no Brasil seguiam o modelo tradicional, que pouco se assemelhavam aos salões de beleza e aos modelo que conhecemos hoje. Na época, ir à barbearia não era um momento para cuidar da aparência, mas uma atividade quase automática. Transformar este tipo de negócio em um novo conceito pareceu desafiador e atrativo.

A ideia logo chegou a um amigo da época da escola, Hugo Paiva, também empreendedor nato. Os dois queriam iniciar uma sociedade há algum tempo. Nada pareceu tão certo quanto a ideia de uma barber shop. Mesmo assim, continuaram com seus projetos pessoais por um tempo, mas sempre voltavam ao mesmo assunto. Em 2013, o sonho da barbearia saiu do papel e eles decidiram que era hora de criar o plano de negócio. Entraram juntos em um MBA em Administração de Empresas e dedicaram-se ao estudo durante dois anos. Na teoria, tudo estava alinhado, mas faltava alguma coisa em Thiago. Enquanto Hugo tinha memórias afetivas das idas à barbearia com o pai, Thiago precisava de um propósito para o negócio, algo que o fizesse acordar todos os dias disposto a trabalhar no que realmente acreditava. 

A cultura e os valores da Barbearia do Zé

A história da rede começa, de fato, com a escolha do nome. José Reis era um vaidoso porteiro do Hotel Bragança, famoso prédio da Lapa. Gostava de tomar cerveja com os amigos e de papear com a vizinhança. Era avô de Thiago e trabalhou durante toda a sua vida. O nome da barbearia era uma forma de homenagear e lembrar com carinho das memórias do seu avô falecido, mas isso foi além. Thiago, que conviveu pouco tempo com o avô, passou a coletar histórias e lembranças de pessoas próximas. A partir disso, criou a cultura de toda a rede e deu início ao sonho da Barbearia do Zé através de seis pilares:

Vaidade: Seu Zé era vaidoso, cuidava da saúde e vivia com um pente de bolso. Essa preocupação com a estética e com a autoestima tornou-se o propósito da marca.

Pessoas: apaixonado por pessoas e conhecido como um cara de bom relacionamento, Seu Zé gostava de pessoas. Estava sempre conversando com alguém pelas ruas e fazendo amizades. Essa paixão pelas pessoas está também na Barbearia do Zé. O cuidado com seus clientes e colaboradores é uma forte característica da marca.

Resenha: se hoje o chopp gelado é uma referência da BZ é porque o Seu Zé adorava tomar a sua cervejinha diária no bar. Era o momento de reunir os amigos e fazer aquela resenha para lá de especial. 

Trabalho: o Hotel Bragança marcou a vida do Seu Zé. Apaixonado pelo que fazia, continuou trabalhando mesmo após a aposentadoria. Quando precisou sair por conta da idade avançada, lamentava constantemente sobre a saudade que sentia do local. A Barbearia surgiu com a missão de ter essa conexão com os seus colaboradores, de tornar-se um local receptivo.

Finanças: a organização financeira do Seu Zé é uma inspiração para Thiago e passou a ser um dos pilares do seu negócio. Desde o ínicio da rede, a ideia sempre foi repassar para os seus colaboradores a importância de se organizar e de cuidar do seu dinheiro para conquistar os seus sonhos. 

Caridade: ainda que não tivesse um grande salário, Seu Zé sempre procurou ajudar ao próximo e compartilhar o que tinha. Em sua folga semanal, ensinava boxe para crianças carentes na praia de Ramos. Desde a primeira loja, a Barbearia do Zé realiza diversas ações sociais e busca levar essa preocupação com a autoestima para além da barbearia, garantindo o visual novo e um sorriso no rosto. Olhar para o próximo com carinho está na essência!

Tamo Junto na Crise

Ainda que a marca seja forte e estruturada, ter o próprio negócio é sempre arriscado. Enquanto planejavam grandes passos para o ano de 2020, a equipe – e o mundo inteiro – foram surpreendidos por uma pandemia mundial. As 10 lojas foram fechadas e seguem sem previsão de abertura. Como a cultura pode ajudar nessa hora?

Em meio às decisões difíceis e ao medo do futuro, foi criado um comitê de crise, liderado pelo sócio Hugo. Este comitê passou a trabalhar na comunicação e em ações para manter os seus clientes e colaboradores conectados à marca. Uma campanha foi lançada para incentivar que todos retirassem a barba para uma higiene melhor. A empresa também passou a oferecer ajuda psicológica aos seus colaboradores, que permanecem em quarentena. Conteúdos otimistas e memes são compartilhados diariamente com a ideia de manter o clima leve da barbearia. O voucher TMJ na Crise passou a ser vendido no site da barbearia. Há diversos cupons, e eles oferecem os serviços da barbearia a preços promocionais após a reabertura das lojas. Em uma semana, eles venderam mais de R$200 mil reais.

A Barbearia do Zé é um negócio verdadeiro e sólido, que não possui apenas uma estratégia comercial, mas uma cultura baseada em propósitos reais. Foi um bate-papo incrível e inspirador! A live completa você assiste no meu canal do Instagram @luizfelipecosta_oficial. Recentemente, falamos aqui no blog sobre o quanto a cultura forte é uma estratégia de captação de franqueados que fortalece o negócio e a marca. Vale a pena conferir aqui

Forte abraço!

 

Luiz Felipe Costa

Luiz Felipe Costa

Luiz Felipe Costa é CEO do Grupo Alento, detentor das marcas Billy The Grill, Vizinhando e Naa! Sushi Bar, e também vice-presidente da ABF-Rio. Pretende ainda lançar novas marcas em 2020.

Facebook Comentários