Priorização de caixa: a ordem do momento

Priorização de caixa: a ordem do momento

20 de abril de 2020

Fala, galera!

Na última quinta-feira, recebi o amigo Gledson Santos, sócio da CF Contabilidade e co-fundador da iniciativa @vc.ceo. Tem sido uma honra conversar com essa galera experiente e cheia de ensinamentos para compartilhar. Neste bate-papo, falamos sobre como podemos alinhar a gestão às novas necessidades de priorizar caixa. Afinal, é uma situação que requer a habilidade de planejar a longo prazo e de tomar decisões rápidas e assertivas. 

A CF É uma empresa que está no ramo desde 1989. Seu objetivo é blindar os empresários contra as ameaças ao patrimônio, auxiliando diretamente para que possam focar no crescimento de seus negócios. Além de trabalharem diretamente com franquias, eles também são um modelo de franchising com 80 unidades espalhadas pelo Brasil. É um desafio cuidar de tanta gente e, diante da crise causada pela COVID-19, eles intensificaram este objetivo, cuidando ainda mais da empresa, dos franqueados e dos clientes. 

Em nossa conversa, percebemos que, embora sejamos de segmentos diferentes, o modo de agir agora é muito parecido. Revimos orçamentos, custos, realizamos cortes necessários, adiamos planos e nos preparamos para um cenário pessimista. Gledson acredita que é sempre necessário considerar tudo o que pode acontecer de ruim, para que não sejamos pegos de surpresa. Enquanto ainda não há previsão de retorno das atividades comerciais no Brasil, discutimos também sobre a importância de gastar menos e guardar mais, estudando diariamente o caixa para entender, de fato, a situação. Para Gledson, ainda que seja um trabalho da contabilidade, os donos dos seus negócios precisam acompanhar esta análise do cenário financeiro de cada negócio.

Mudança nos modelos de negócio

Algumas empresas ainda não enxergam um retorno após esta crise. Outras, no entanto, tentam negociar descontos de aluguéis e condomínios já pensando no retorno. Neste ponto, concordamos que não será mais viável bancar aluguéis tão caros em shopping centers e prédios comerciais. Afinal, agora estamos diante de duas grandes tendências: o home office e o delivery. Passamos a entender a importância delas e a analisar o quanto gastávamos com grandes lojas e salas. É uma transição para um estilo de vida mais prático, focado na redução de custos. Vamos passar cada vez mais tempo em casa, dando valor a nossa família e ao nosso tempo. 

A CF Contabilidade, que está mantendo os seus funcionários em casa, realizou uma pesquisa interna para saber qual é a percepção da equipe quanto ao home office. Diante da avaliação positiva, a empresa passou a analisar estes novos modelos de negócio.

No Grupo Alento, estamos cada vez mais investindo no delivery. Antes, categorizávamos os nossos clientes em balcão e delivery, e hoje entendemos que o mesmo o cliente do balcão está pedindo comida em casa, seja pelo iFood ou pelo telefone. Cabe aos shopping centers entenderem a importância de oferecer suporte para esta área, oferecendo espaços ideais para a preparação e o envio dos pratos ou compras. O home office veio para ficar.

Processo de Retomada

Em uma analogia perfeita, Gledson comparou as pessoas que estão agindo como leões, que vão à caça. E pessoas que ainda estão aguardando como ursos, que usam o inverno inteiro para hibernar. A hora é de tomar decisões rápidas e inteligentes, focando nos resultados dos próximos anos. Precisamos acompanhar as mudanças e pensar no que pode ser feito para diminuir os impactos de uma ruptura no modelo tradicional de negócio. Vamos voltar mais frágeis financeiramente, isso é fato. Mas precisamos voltar mais atentos ao caixa das nossas empresas, trabalhando duro para voltar a conquistar  clientes e franqueados.

A live completa você assiste no meu canal do Instagram @luizfelipecosta_oficial.

Foto “negócio” criada por katemangostar – br.freepik.com

Luiz Felipe Costa

Luiz Felipe Costa

Luiz Felipe Costa é CEO do Grupo Alento, detentor das marcas Billy The Grill, Vizinhando e Naa! Sushi Bar, e também vice-presidente da ABF-Rio. Pretende ainda lançar novas marcas em 2020.

Facebook Comentários